DESENCONTRO

José Araujo de Souza

Havia,

num lugar que eu nunca vi,

um olhar perdido

a espera de outro olhar.

Com o passar do tempo

e a chegada do inverno,

o olhar se apagou.

Foi quando

o olhar esperado

de mansinho chegou,

sem que alguém visse.

Foi assim que os dois olhares

se desencontraram

e se perderam,

deseperadamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s