FINITO

José Araujo de Souza

Quando olhamos no espelho e já não vemos mais, lá,
refletida, a nossa imagem;
Quando andamos pelas ruas, durante horas, e não percebemos mais
nenhum sorriso que nos é endereçado;
Quando a dor da emoção ferida, em nosso peito, é maior,
mil vezes maior que a dor física;
Quando o amor que temos para dar é tão grande e tão desesperado
que não nos atrevemos a deixá-lo com quem queremos;
Quando precisamos ter muito e sentimos aumentar a fração do tempo
entre as gotas que recebemos, é melhor, bem melhor, que deixemos ficar o nosso corpo
estendido, escorraçado, esfarrapado e miserável, sem velas, sem flores, sem nada, numa vala distante ou num lugar ermo qualquer de uma estrada que não leve a nenhum lugar.
Assim, sem nenhuma cruz como referência, teremos a paz e o reconhecimento de nossa real condição de mortos insepultos.

https://go.hotmart.com/P44983709K

https://go.hotmart.com/P44983709K?dp=1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s