REALIDADE

José Araujo de Souza

Nascida de um amor desfeito,

chegou-me, pouco a pouco, esta saudade.

Fez a sua moradia no meu peito,

acomodou-se em minha realidade

e não me deixa só, um só instante.

Para que eu possa recompor meu canto

e retornar ao ponto de partida,

será preciso sepultar, no pranto,

a imagem triste de uma despedida

e reviver o sonho mais distante.

Para que eu possa expulsar a dor

que esta saudade causa, no meu mundo,

será preciso esquecer o amor

que no meu coração mora, profundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s