INFINITE HEALTH


José Araujo de Souza


An infinite longing won’t let me
more after that night
undone, without rhyme
and no wind.
Such a longing
took care of my chest
that I take with me today
everywhere and anywhere
where I lie down.
The nostalgia is so insistent
that even when I breathe
the air becomes sigh
eyes fill with water
and weeping is born, silent,
that nothing can end.
An infinite longing
little by little it becomes cursed
and try like that
kill me.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s