Belém Gerais

Rita de Cássia Paiva

É pela noite

Que Minas Chega

Ao Guajará

Vem da Ponta da Areia

Do Morro Velho

Encontra o amo do índio daqui

Aragem canta como flechas

Na dança das aves noturnas

O rio, calado,

Ouve a história do ouro

De outra terra

Que cresce, excêntrica,

Do centro de mim mesma

Esse não é meu chão…

Mas a força dessa dança

Da folha e da lança

De Damiana e da mata

58 II PRÊMIO PROEX/UFPA DE LITERATURA

Transitam em novo canto

O amálgama na alma

Que veio do sertão

Ainda ser

Ainda tão.

Das Docas

Minam as histórias gerais

Do passo

Da história

Da conquista

Na pele

Tutu, tucupi e saudade

E os cabelos boiam

Como cachoeiras

Sobre os portos

Pra ver

O SOL

O Rio

O PESO

O CAIS

Viva essa Belém/Gerais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s