CONSCIOUSNESS


José Araujo de Souza


When my hands roam
the curves, the straight, the lumps
of your body
naked,
I don’t feel dominant,
I don’t feel sir,
I don’t even feel like your protector
in no time.
In those moments,
fast or time consuming
I know I am,
only,
the happiest of mortals.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s