CONCIENCIA


José Araujo de Souza
Cuando mis manos vagan
las curvas, las rectas, los bultos
de tu cuerpo
desnudo,
No me siento dominante
No me siento señor
Ni siquiera me siento como tu protector
en ningún momento.
En esos momentos
rápido o lento
Yo sé que soy,
solamente,
El más feliz de los mortales.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s