Canção a medo

Lya Luft, em “Secreta mirada”, 1997.

Esse teu silêncio, essa voz

que murmura brevemente

em horas improváveis,

esse castigo de não te alcançar

me assusta:

de que tamanho este iniciante amor

que já me invade tanto, e aonde me leva?

De tal modo

me torna parte de ti

que não sei mas quem sou, que faço,

de que lado me volto para te ver

de longe ao menos, os olhos de promessa

e as mãos que, mal tocando as minhas,

conformam os meus dias.

– Lya Luft, em “Secreta mirada”, 1997.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s