Arquivos Mensais: junho 2020

LETTERS TO MY DAUGHTER III

Praia, Sênior, Homem, Masculino, Andar

Ju,

I’m coming from the beach.
I stayed on the coast of Espírito Santo exactly five days. Wonderful five days. Too good of the bill. I was very tired but now I am completely recovered. Ready to start my work again. New breath acquired by the sea.
There is nothing more beautiful, Ju, than a star-filled night seen from the sand of a beach. The immensity of the sea joining the immensity of the sky covered with blinking dots of light, blinking overhead. The light ripple of the waters rocks us at a slow pace and makes us imagine the whole Earth swaying, slightly. It is the world that rocks. It is the world that rocks, rocks and soothes us as if it embraces us with affection.
In the morning the sea is green, illuminated by the sun’s rays. Its water welcomes us warm and salts our skin while the sun tans us. I, my daughter, who am very white, do not feel tan, but literally bake. How I burn! How I turn red! How my body burns in the early days. Then, I’m another dad. Sunburnt. Rejuvenated.
From the apartment I can see a part of the beach. Sand and sea mix.
The smell of the sea is different from all smells, you know? No, you don’t know, little girl. You didn’t smell that. You have not seen the whiteness of the sand on the beach or the green or blue of the waters at sea. He did not feel the waves sway or pick up shells in the sand when the tide ebbed. Not even starfish sunk in the mud of the beach. Ah, the smell. You didn’t even smell that sweet, sickening, but so striking, smell of the sea. You didn’t see the sea. His eyes, I am sure, would open in amazement and delighted to see him. There are no eyes of anyone in the world who are not surprised and delighted to see, for the first time, the immensity of the sea. Ah, how I wish I could have seen, witnessed and witnessed your astonishment!
I missed your mother so much! You know, Ju, we’ve never been together by the sea. We had no opportunities. It is not good to be alone on a beach. The greatness of the sea, the curvature of the earth being lost in the endless horizon, the waves breaking at our feet, the heat of the sand, the breeze to envelop us, all of this is to be experienced together, not alone. Ah, how I missed your mother. I promised myself that I would never, but never again, be lonely by the sea again.
You know what, Juliana, even though intoxicated by the peace that comes from the sea, intoxicated by the charm of the region, I still didn’t feel perfectly happy. At night, a sadness took over my being. Every night I suffered in silence. In solitude. Without having someone to vent. Ah, how loneliness at night depresses me and how loneliness at night consumes me. I will never get used to being alone in my nights. I have always agreed with the idea that nights are suitable for the rest of the day. But it is impossible to rest the tiredness of the day when we are alone, all night. There is nothing better than sleeping on a hook.
I believe that the enchantment of moments spent by the sea will take many days to end. I will certainly be able, for some time, even though I am no longer there, to close my eyes and breathe in the sea breeze. I will certainly be able to feel the pleasant warmth of the sun’s rays on my skin, even when sitting at my desk, in the closed, dark room of my work. I will certainly be able to lay my body on my bed at night and count the stars in the sky beyond the ceiling of my room. And see them blinking, blinking, like fireflies in the dark night of an inner city. Ah, how good it is to know that even though I returned, I brought a little bit of meekness, peace, beauty, the charm of the sea with me. Too bad it will get lost little by little, until it gets lost once and for all in my memory in my day to day.
Well, daughter, for today I think that’s it. While writing I managed to live a day on the beach again. Was very good
Loving and homesick kisses from
Dad.

CARTAS A MINHA FILHA III

Praia, Sênior, Homem, Masculino, Andar

Ju,

estou chegando da praia.

Fiquei no litoral do Espírito Santo exatamente cinco dias. Maravilhosos cindo dias. Bom demais da conta. Estava muito cansado mas  agora estou completamente recuperado. Pronto para recomeçar o meu trabalho. Fôlego novo adquirido à beira do mar.

Não há nada mais bonito, Ju, que uma noite cheia de estrelas vista da areia de uma praia. A imensidão do mar se unindo à imensidão do céu coberto de pontinhos luminosos piscando, piscando lá no alto. O leve ondular das águas nos embala num ritmo lento e nos faz imaginar toda a Terra a balançar, levemente. É o mundo que balança. É o mundo que nos balança, nos embala e acalma como se nos abraçasse com carinho.

Pela manhã o mar se mostra verde iluminado pelos raios do sol. Sua água nos acolhe morna e salga a nossa pele enquanto o sol nos bronzeia. Eu, filha, que sou muito branco, não me sinto bronzear, mas assar literalmente. Como queimo! Como fico vermelho! Como arde o meu corpo nos primeiros dias. Depois, sou outro papai. Queimado de sol. Rejuvenescido.

Do apartamento posso ver uma parte da praia. Areia e mar se misturam.

O cheiro do mar é diferente de todos os cheiros, sabia? Não, você não sabe, filhinha. Você não sentiu esse cheiro. Você não viu a brancura da areia na praia nem o verde ou azul das águas, no mar. Não sentiu o balanço das ondas nem apanhou conchinhas na areia quando a maré reflui. Nem estrelas-do-mar afundadas no barro da praia. Ah, o cheiro. Você nem sentiu esse cheiro adocicado, enjoativo, mas tão marcante, do mar. Você não viu o mar. Seus olhos, tenho certeza, se abririam espantados e encantados ao vê-lo. Não existem olhos de alguém no mundo que não se espantem e se encantem ao ver, pela primeira vez, a imensidão do mar. Ah, como eu gostaria de ter visto, presenciado e testemunhado o seu espanto!

Senti tanto a falta de sua mãe! Sabe, Ju, nós nunca estivemos juntos à beira do mar. Não tivemos oportunidades. Não é bom se estar sozinho em uma praia. A grandeza do mar, a curvatura da terra se perdendo no horizonte sem fim, as ondas quebrando aos nossos pés, o calor da areia, a brisa a nos envolver, tudo isso é para ser vivido acompanhado, não sozinho. Ah, como senti falta de sua mãe. Prometi a mim mesmo que nunca mais, mas nunca mais mesmo , voltaria a ficar solitário à beira do mar.

Sabe de uma coisa, Juliana, mesmo estando inebriado da paz que me vem do mar, embriagado pelo encanto da região, ainda não me senti perfeitamente feliz. À noite, uma tristeza tomava conta do meu ser. Todas as noites eu sofri em silêncio. Em solidão. Sem ter alguém para desabafar. Ah, como a solidão da noite me deprime e como a solidão, à noite, me consome. Não vou me acostumar nunca a estar só nas minhas noites. Sempre concordei com a idéia de que as noites são próprias para o descanso do dia. Mas é impossível descansar o cansaço do dia quando estamos sós, toda a noite. Não há nada melhor que dormir de gancho.

Creio que o encantamento dos momentos passados à beira mar levarão muitos dias para terminar. Poderei com certeza, por algum tempo, mesmo não estando mais lá, fechar os olhos e aspirar a brisa marinha. Poderei, com certeza, sentir na pele o calor gostoso dos raios do sol, mesmo quando sentado em minha mesa, na sala fechada e escura do meu trabalho. Poderei, com certeza, deitar à noite o meu corpo sobre o meu leito e contar as estrelas no céu além do teto do meu quarto. E vê-las piscando, piscando, como vaga-lumes na noite escura de cidade do interior. Ah, como é bom saber que mesmo tendo regressado, trouxe um pouco da mansidão, da paz, da beleza, do encanto do mar comigo. Pena que irá se perdendo aos poucos, até se perder de vez na minha lembrança no meu dia a dia.

Bem, filha, por hoje acho que é só. Enquanto escrevia consegui viver outra vez um dia na praia. Foi muito bom

Beijos amorosos e saudosos do

Papai.

FINAL INSTANT

Viajar de avião pela primeira vez: veja as dicas para a sua viagem!

Before you formulate a thought,
I’ll be leaving already,
away from your arms
who beckon me,
of the lips that call me
and your hands, which I adore,
and that they can no longer arrest me.

Before you wake up from the dream
I will be gone,
and your appeals will no longer be valid
and my promises will have already lost
all the value.

Before you can sense,
I will no longer be the company
who accompanied you, step by step,
night to night, every day.

Before you can break down crying,
I will miss you already,
your memory and strength
that, without me, will keep you alive
for all life.

INSTANTE FINAL

Viajar de avião pela primeira vez: veja as dicas para a sua viagem!

Antes que formules um pensamento,

eu já estarei partindo,

distante dos teus braços

que me acenam,

dos lábios que me chamam

e das tuas mãos, que adoro,

e que já não me podem prender.

Antes que acordes do sonho

eu já terei partido,

e não mais valerão teus apelos

e as minhas promessas já terão perdido

todo o valor.

Antes que tu possas pressentir,

já não serei mais a companhia

que te acompanhava, passo a passo,

noite a noite, todos os dias.

Antes que possas desprender o pranto,

eu já serei tua saudade,

tua lembrança e força

que, sem mim, te manterá viva

por toda a vida.

LETTERS TO MY DAUGHTER II

Primavera, Escrever, Comunicar Se

Dear daughter,

yesterday was Christmas. The day was hectic, full of activities, one gets in and out of people here at home all day. You know well that I don’t like Christmas. I don’t have much of a connection with this day. I have always been somewhat averse to these celebrations, to this excitement that I consider too false, too commercial. But, even if you don’t like it, there’s no way you can’t have any participation in your mother’s arrangements. She, as you well know, has always liked Christmas and sets out to do everything to make everyone feel good. Poor mother! No matter how hard you try, every year it becomes more difficult to keep everyone together at home. The day before, his brothers go out, each one to one side during the whole day, and we only meet, even, in the evening, only for the greetings that are already getting so formal that they are very different from how they used to be, in his time with us .
I even understand, because as they grow up, the children change their interests, getting away from us, more and more. But your mother doesn’t understand and I know that she feels this change. Even more, when she is taken to her grandmother’s house, Ju, where her family always gathers on the afternoon before Christmas Day. Then, he doesn’t understand anything at all. I haven’t been with her for years, since you left us and she fell ill. Today, she no longer complains but I feel that she still resents going with just her brothers. I don’t feel comfortable participating in these parties that they do.
We also lost, here at home, the habit of exchanging gifts between us. To tell you the truth, our Christmas is very dull. The commercial appeal so common in that period does not touch us. The so-called “Christmas Spirit” has passed away from us. A lot, I think, for your absence. Since you left, we no longer celebrate Christmas with the same joy as when you were here. At that time it was different, I remember.
What do we do today? A lunch on Christmas Day that replaces the supper of the night before, as we did in your time. Special meat, fruits, nuts, nuts, soft drinks. We sat with his mother and stayed there, eating and talking. Oh, I forgot … her sister puts a small tree every year that she herself decorates. This is actually the only sign that we are living Christmas. No, I lie. There is also an ornament at the entrance to the house, on the balcony, those little lights that keep flashing all the time. Also your sister’s housekeeping. I confess that it was me who bought it, in a mall where I went to do I don’t know what, but just because I remembered that she would like it. Was right. She loved it and was very happy while setting up the whole thing. Except that hanging up every night became my duty. Otherwise, no one remembers to hang up.
Christmas day is a very long day. Very large. It costs to finish. It seems to have more hours than the others. And the night, then, as it costs to pass. It must be because your mother and I were just awake at home until later. She likes to watch the papal mass on TV. I keep watching some program in the room, a movie, or reading, or writing, which is already becoming a mania to be writing at night.
Sometimes I go there, in her room, to see how she is and I find her emotional. She is still moved by the Mass celebrated by the Pope. Today, the solemn masses celebrated by the Pope at Christmas start earlier but continue until later. A little because of the time zone, but also because of the solemnity of which they are dressed. Your mother is right when she says it is a very beautiful party. St. Peter’s Square and the Basilica full of people. I fully agree with her, although I think it is always very sad. How sad are Christian festivals! There is suffering and there is pain! Deep down, deep down, they end up impressing us.
You know, daughter, as much as I don’t want to admit it, you miss me so much at Christmas. I’m sure your mother and brothers feel the same way. When we look at each other all day, we think about how good it would be if it were with us.
Her mother and siblings participate in a hidden friend’s game at her grandmother’s house every year. She likes to give gifts and ends up giving gifts to everyone. A souvenir that we keep with the greatest affection. In reality, she is the friend who is nothing hidden from all of us. Even I, who almost never go there, end up getting something to remember. How affectionate your grandmother is! And how we all like it!
His uncles and cousins ​​also strive to make his mother and brothers happy. And she, as you well know, loves to be with her mother, siblings and relatives.
That’s how, little girl, your daddy lives Christmas Day.
Always remembering you, forever unforgettable in all our Christmases.
Loving and homesick kisses from
 dad.

CARTAS A MINHA FILHA II

Primavera, Escrever, Comunicar Se

Querida filha,

ontem foi Natal. O dia foi agitado, cheio de atividades, um entra e sai de gente aqui em casa o dia todo. Você sabe bem que eu não gosto do Natal. Não tenho uma ligação muito grande com este dia. Sempre fui meio avesso a essas comemorações, a essa agitação que considero falsa demais, comercial demais. Mas, mesmo não gostando, não há como não ter alguma participação nos arranjos da sua mãe. Ela, como você bem sabe, sempre gostou do Natal e se põe a fazer de um tudo para que todos se sintam bem. Coitada da sua mãe! Por mais que se esforce, a cada ano fica mais difícil manter todos reunidos, em casa. Na véspera, os seus irmãos saem, cada qual para um lado durante todo o dia, e só nos encontramos, mesmo, à noitinha, apenas para os cumprimentos que já estão ficando tão formais que destoam muito de como eram antigamente, na sua época conosco.

Eu até que entendo, pois na medida em que vão crescendo, os filhos vão mudando os interesses, ficando distantes de nós, cada dia mais. Mas a sua mãe não entende e eu sei que ela sente essa mudança. Mais, ainda, quando ela é levada para a casa da sua avó, Ju, onde a família dela se reúne sempre na tarde que antecede o dia de Natal. Aí, então, que não entende nada mesmo. Eu já não a acompanho há anos, desde que você nos deixou e ela adoeceu. Hoje, ela já não reclama mais mas eu sinto que ela ainda se ressente de ir apenas  com os seus irmãos. Eu não me sinto à vontade para participar dessas festas que fazem.

Também perdemos, aqui em casa, o costume de trocar presentes entre nós. Para dizer a verdade, o nosso Natal é muito sem graça. Não nos toca o apelo comercial tão comum nesse período. O chamado “Espírito de Natal” tem passado longe de nós. Muito, acho, pela sua ausência. Desde que você se foi nós não comemoramos mais o Natal com a mesma a alegria de quando você estava aqui. Naquele tempo era diferente, eu me lembro.

O que fazemos hoje? Um almoço no dia de Natal que substitui a ceia da noite da véspera, com fazíamos no seu tempo. Uma carne especial, frutas, nozes, castanhas, refrigerantes. Sentamos com sua mãe e ficamos ali, comendo e conversando. Ah, eu me esquecia… sua irmã arma, todos os anos, uma pequena árvore que ela mesma enfeita. Esta é, na realidade, a única mostra de que estamos vivendo o Natal. Não, eu minto. Há, também, um enfeite na entrada de casa, na varanda, aquelas luzinhas que ficam piscando todo o tempo. Também arrumação da sua irmã. Confesso que fui eu quem comprou, num shopping onde fui fazer não sei lá o quê, mas apenas porque me lembrei de que ela iria gostar. Estava certo. Ela adorou e ficou muito feliz enquanto armava aquela coisa toda. Só que desligar, todas as noites, virou obrigação minha. Senão, ninguém se lembra de desligar.

O dia de Natal é um dia muito longo. Muito grande. Custa para terminar. Parece ter mais horas que os outros. E a noite, então, como custa a passar. Deve ser porque ficamos apenas eu e sua mãe acordados em casa, até mais tarde. Ela gosta de assistir na tv a missa papal. Eu fico assistindo um programa qualquer na sala, um filme, ou lendo, ou escrevendo, que já está virando mania ficar escrevendo à noite.

Vez por outra eu vou lá, no seu quarto, ver como ela está e a encontro emocionada. Ela ainda se emociona com a missa celebrada pelo Papa. Atualmente, as missas solenes celebradas pelo Papa no Natal começam mais cedo mas se estendem até mais tarde. Um pouco em razão do fuso horário mas, também, em razão da solenidade da qual se revestem. Sua mãe tem razão quando afirma que é uma festa muito bonita. A Praça de São Pedro e a Basílica repletas de gente. Concordo plenamente com ela, embora ache que é, sempre, muito triste. Como são tristes as festas cristãs! Haja sofrimento e haja dores! No fundo, bem no fundo, acabam nos impressionando.

Sabe, filha, por mais que eu não queira admitir, você me faz muita falta no Natal. Tenho certeza de que sua mãe e seus irmãos também sentem o mesmo. Quando olhamos uns aos outros, durante todo o dia, pensamos no quanto seria bom se estivesse conosco.

Sua mãe e os seus irmãos todos os anos participam de uma brincadeira de amigo oculto na casa de sua avó. Ela gosta de presentear e acaba dando presentes para todo mundo. Uma lembrancinha que guardamos com o maior carinho. Na realidade, ela é a amiga que não é nada oculta de todos nós. Até eu, que quase nunca vou lá, acabo ganhando alguma coisa para me lembrar. Como é carinhosa a sua avó! E como todos gostamos dela!

Os seus tios e primos também se empenham em fazer feliz a sua mãe e os seus irmãos. E ela, como você bem sabe, adora estar junto da mãe, dos irmãos e dos parentes.

É assim, filhinha, que o seu papai vive o dia de Natal.

Sempre a me lembrar de você, para sempre inesquecível em todos os nossos natais.

Beijos carinhosos e saudosos do

 papai.

TRUTH

Who knows about your desires
and know your ways
I am the one who cares,
that are yours.

Who knows your hours
in pain, on the coldest nights
and your fantasies,
one by one, it’s me.

I am the one who loves
and I live alone, my pains,
away from your eyes.

It is I who hear your steps
and I long for your hugs
so that I can dream.

VERDADE

Quem sabe dos teus anseios

e conhece os teus caminhos

sou eu, que tenho os carinhos,

que são teus.

Quem sabe das tuas horas

de dor, nas noites mais frias

e das tuas fantasias,

uma por uma, sou eu.

Sou eu, que padeço amores

e vivo só, minhas dores,

distante do teu olhar.

Sou eu que ouço os teus passos

e anseio por teus abraços

para que eu possa sonhar.   

ABSENCE

Síndrome do ninho vazio: o impacto da saída dos filhos de casa na ...

Where are you
that leaves me lost
in despair
and only?

Where are you
that disappeared with the night
and left me suffering
mercilessly?

I’ve searched for space
between shining stars
and I came back sobbing
of pain.
I’ve searched the seas
between wave and foams
and I came back suffering
of love.

You certainly don’t know
that even distant
still live with me
in my mind.

You certainly don’t know
Because if I knew
would be done in an instant
gift.

AUSÊNCIA

Síndrome do ninho vazio: o impacto da saída dos filhos de casa na ...

Onde está você

que me deixa perdido

em desespero

e só?

Onde está você

que sumiu com a noite

e me deixou sofrendo

sem dó?

Já busquei pelo espaço

entre estrelas brilhando

e voltei soluçando

de dor.

Já busquei pelos mares

entre onda e espumas

e voltei padecendo

de amor.

Por certo não sabe

que mesmo distante

ainda vive comigo

na minha mente.

Por certo não sabe

Porque se soubesse

se faria num instante

presente.